sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Que um militar do Destacamento de Trânsito de Portalegre da GNR mande identificar um cidadão num local onde todos o conheciam poderá no mínimo ser "falta de bom senso"

Que te proíbam de fazer o teu trabalho, ameacem, mandem identificar isto num local onde todos te conhecem de “ toda la vida”, e que depois exerçam pressão psicológica e não encontras logo os documentos que até estavam todos no porta-luvas da viatura estacionada fora da faixa de rodagem a mais de 500 metros do local, onde os Bombeiros de Arronches, desenvolviam a sua actividade e se é tratado quase como criminoso e pressionado a assinar um documento, por alegarem andavas indocumentado, o que se verificou não corresponder á verdade, dado que finalizada a pressão exercida documentos apareceram viatura, até poderá ser normal em Portugal.

Resumindo, na posse dos citados documentos e dado que as autoridades (GNR), ainda estavam presentes no local, os mesmos foram apresentados ao militar que parecia ser o chefe, pese a nunca se tenha identificado mas mandou identificar por uma patrulha de Campo Maior, que se recusou a verificar os documentos, alegando “já esta já está”, dizendo ainda, “recuso-me mais a falar mais consigo”, virando a costas, numa atitude que julgo menos adequada a uma instituição militar como o é a GNR. 

Perante esta atitude de recusa, os documentos foram apresentados no Posto da GNR em Arronches, momentos depois, embora via telefone tenha sido dado conhecimento do sucedido ao Destacamento de Trânsito de Portalegre da GNR, que se limitou a dizer que desconheciam o caso.

Igual procedimento via telefone foi efectuado com o Posto da GNR de Campo Maior, por diversas vezes nunca sendo possível falar com ninguém responsável.

Perante o a traz exposto, e depois de se verificar no local que o que alegaram para acusar, embora não se tenha circulado pela faixa de rodagem, estar sempre a dezenas de metros ou não ter interferido no trabalho dos bombeiros ou outros profissionais, constatou-se que antes se proibiu, o mesmo acabaria por ser permitido a outros profissionais que ali se deslocaram a fazer o seu trabalho... Perante este tipo de atitudes está tudo dito em Portugal nem todos somos tratados de igual modo perante a lei.

Que fique claro que aqui ninguém pretende estar acima da lei ou merecer tratamentos de excepção, apenas se lamenta a forma como se é tratado ou humilhado quer seja palavras agressivas um virar de costas ou uma coima de 30 euros, quando não se cometeu nenhum crime e provou-se no local instantes depois que havia documentos, incluída a identificação do órgão de comunicação social, embora essa tenha sido sempre ignorada. 

Embora possa sobrar o sentimento de injustiça, não se consideram mal empregues os 30 euros, se os mesmos forem aplicados pelo Ministério da Administração Interna, na formação dos novos guardas da GNR, ou na manutenção de viaturas de muitos postos rurais.   
Emílio Moitas /ArronchesemNotícias

  ***********************************
PS: Ainda sobre o que parece seu uso e o abuso na identificação de cidadãos em Portugal:

A inspetora-geral da Administração Interna enviou uma recomendação à PSP, à GNR e ao Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) a lembrar que as forças policiais não podem identificar pessoas, e sobretudo menores, só por estarem em local considerado sensível se não houver suspeitas fundadas de crime. Mais: só devem conduzir um cidadão a um posto policial para identificação em último recurso.

Nesta recomendação, emitida após receber denúncias de situações em que os direitos de cidadãos foram postos em causa, Margarida Blasco, a juíza desembargadora que dirige a Inspeção-Geral da Administração do Território (IGAI), aponta que, segundo a lei, ninguém deve ser detido para identificação e que se for necessária a ida à esquadra tal deve ocorrer no mais curto espaço de tempo - a lei prevê seis horas no máximo, e no caso dos menores o limite é de três horas.

Questionada pelo DN sobre a razão para esta recomendação, a IGAI respondeu, por escrito, que "foi motivada pela relevância dos direitos referidos e pela necessidade que se sentiu de uniformizar práticas, motivação formada na sequência de informações várias oriundas quer das forças quer de particulares".
14 DE JANEIRO DE 2018





Arronches – Juntas de Freguesia de Assunção e Mosteiros divulgam património em calendários


As Juntas de Freguesia de Assunção e Mosteiros, no concelho de Arronches, com o intuito de divulgar o património existente na área destas freguesias, editaram recentemente dois calendários de parede, que foram distribuídos junto da população no decorrer dos convívios de Natal para idosos e reformados.  

Estes calendários para além de promoverem o património histórico ou na natural, informam ainda das fases da lua, muito do agrado da população que tem em atenção as fases da lua para a decisão de fazer esta ou aquela tarefa agrícola.

Impressos em papel de qualidade, estes para além de contribuírem para a divulgação do património arronchense, constituem ainda futuras peças de coleção em tempos digitais.
Fotos: Emílio Moitas 


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Badajoz – Três detidos e caçadeira apreendida em tiroteio


Um tiroteio entre vizinhos ocorridos na “calle Francisco Parada”, com vários disparos de caçadeira de canos cortados, foi registado na passada quarta-feira, dia 17, cerca das 17h00, o incidente terminou sem feridos, com três detenções e a apreensão da caçadeira pela “Policía Nacional”, em Badajoz.

Os detidos são três homens, com idades entre os 24 e 34 anos de idade, todos com antecedentes policiais.
Fonte: Policía Nacional/Foto: E. Moitas


Arronches – Grupo de Forcados divulga estatísticas e promove I treino da temporada 2018

O Grupo de Forcados Amadores de Arronches divulgou as estatísticas da temporada 2017, e promove este sábado dia 20 de janeiro, pelas 10h00, o I treino da Temporada 2018, com gado gentilmente cedido por José Covas, na Praça de toiros de Reguengo (Portalegre).


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

III Prova de Cães de Pastoreio da ESACB em Castelo Branco


A Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, numa organização conjunta com a APUCAP - Associação Portuguesa de Utilizadores de Cães Pastores, realiza no próximo sábado dia 20 de janeiro, a III Prova de Cães de Pastoreio da ESACB.

O evento, que integra a IV Prova do Campeonato Nacional de Cães de Pastoreio, tem lugar na Quinta da Senhora de Mércules, em Castelo Branco, entre as 9h00 e as 16h00.

Nesta prova vão participar cães de Pastoreio, provenientes de Arronches (Nave do Grou), Marvão entre outras localidades.

Para mais informação consultar cartaz em anexo. 


San Vicente de Alcántara – Suberfolk e IX Semana do Folclore de 20 a 27 de janeiro

A “Asociación Folclórica Sanvicenteña La Besana”, em colaboração com o Ayuntamiento de San Vicente de Alcántara e a Federación Extremeña de Folclore, organizam a IX Semana do Folclore, que coincidem com as festas patronais de San Vicente Mártir.

O evento tem início pelas 18h00, do próximo sábado 20 de janeiro, com o Festival Suberfolk, com diferentes actividades a decorrer durante a tarde e que vão culminar na casa de cultura, com a atuação da cantora e percussionista “Vanesa Muela”, que no concerto utiliza utensílios do cotidiano como panelas, colheres ou tachos de cozinha.

No domingo dia 21, tem lugar a missa e tradicional procissão, com o acender das fogueiras e “mascarrones” , com a população a mascarrar a cara com cortiças queimadas.

O IX festival de Folclore termina no sábado dia 27 de janeiro, com a participação do Rancho Folclórico e Etnográfico de Casais de Revelhos (Abrantes), Sa Colla de Ball Pagès (Ibiza) e grupo anfitrião “La Besana” de San Vicente de Alcántara, com o Festival tem lugar pelas 20h00, no Pabellón Multiusos.
Fotos: Emílio Moitas/Besana 







terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Castelo de vide participa na FITUR 2018 em Madrid

O concelho de Castelo Vide  vai marcar presença, entre 17 e 21 de janeiro, na 38ª edição da FITUR – Feira Internacional de Turismo de Madrid, para divulgação do que melhor o destino tem para oferecer, apostando na promoção do seu património natural e paisagístico e da sua riqueza monumental e cultural, divulgando ainda os seus principais eventos, o Turismo de Natureza, a Gastronomia e Vinhos e Artesanato, com a Câmara Municipal a convidar os empresários de hotelaria do concelho a participarem no evento o seu material promocional.

A FITUR, considerada a principal feira do sector turístico em Espanha e uma das mais importantes da Europa, registou em 2017 um total de 244.972 visitantes (dos quais 135.838 foram visitantes profissionais) e 9.893 empresas presentes procedentes de 165 países. A feira vai decorrer, como é hábito, no espaço Ifema Feria de Madrid, sendo os três primeiros dias para profissionais, estando no fim-de-semana as portas abertas também para o público em geral.

A participação de Castelo Vide tem por objetivo reforçar a promoção junto do mercado espanhol, dada a sua proximidade e importância deste mercado para os resultados turísticos do concelho.
Fotos: Emílio Moitas/Global News