sexta-feira, 29 de maio de 2020

Arronches/La Codosera – Embora descentralizadas continuam de fronteira fechada


Atravessar as fronteiras com Espanha vai ser possível em algumas localidades, consideradas descentralizadas pelo governo, lugares remotos onde os residentes nas localidades portuguesas espanholas se deslocam entre os dois países de forma frequente”, a partir de dia 1 de junho, uma situação que exclui a fronteira do Marco em Arronches/La Codosera, embora localizadas a cerca de 50 quilómetros dos postos fronteiriços do Caia em Elvas ou Galegos em Marvão, e que vai permanecer fechada.

As autoridades reconheçam que “corte total das vias de acesso não se afigura a modalidade mais adequada”, sob pena de “causar constrangimentos às atividades essenciais da população local”, em Arronches/La Codosera essas mesmas atividades essenciais das populações residentes em zonas raianas de Portugal e Espanha vazios de gente, e longe de tudo, voltaram a ser ignoradas.

Um despacho que determina os horários para atravessar a fronteira entre Portugal e Espanha, nas localidades de Rio de Onor (Bragança), Tourém (Vila Real) e Barrancos (Beja), na sequência da pandemia, foi hoje publicado em Diário da República (DR).

O despacho conjunto dos ministros dos Negócios Estrangeiros e da Administração Interna refere que a decisão decorre de uma resolução do Conselho de Ministros, de 16 de março, sobre reposição, “a título excecional e temporário”, do controlo “de pessoas nas fronteiras” entre Portugal e Espanha, no âmbito da situação de pandemia da doença provocada pelo novo coronavírus.

O diploma determina que às quartas-feiras e aos sábados, entre as 10h00 e as 12h00, “Rio de Onor, ponte de fronteira da Rua da Costa, caminho rural, é ponto de passagem autorizado na fronteira terrestre”.

Em relação a Tourém e Barrancos, o ponto de passagem autorizado através da fronteira terrestre entre os dois países é às segundas-feiras e quintas-feiras, entre as 06h00 e as 08h00 e das 17h00 às 19h00.

O despacho entra em vigor em 01 de junho, o diploma explicita ainda que estas localidades se encontram descentralizadas, existindo residentes nas localidades portuguesas e residentes em Espanha que se deslocam entre os dois países de forma frequente”.

Por isso, o “corte total das vias de acesso não se afigura a modalidade mais adequada”, sob pena de “causar constrangimentos às atividades essenciais da população local”.
Fotos/ Emílio Moitas / Arquivo.






quinta-feira, 28 de maio de 2020

Universitária elvense desaparecida foi assassinada em Lisboa

A jovem universitária, Beatriz Lebre, de 23 anos, foi assassinada em Lisboa, supostamente pelo namorado e companheiro de faculdade, um jovem de 25 anos.

Procurada pela família desde o passado dia 18, quando regressou a Lisboa, altura em que deixou de entender os contatos da família, o que motivou a preocupação de familiares e amigos, que não a voltaram a conseguir contatar.

Procurada em casa no passado dia 22 de maio, por familiares que não a encontraram decidiram participar o seu desaparecimento às autoridades.

Na sequência das investigações o namorado confessou o crime e encontra-se detido.

As autoridades continuam a realizar buscas para encontrar o corpo da vítima que terá sido ocultado perto do Rio Tejo.

O jornal Linhas de Elvas na sua página web, avança que a vítima, faz parte de uma família elvense ligada ao ramo óptico, e que fez o seu percurso de vida na cidade de Elvas.
Foto/ Emílio Moitas


Arronches - Museu de (A) Brincar celebra Dia Internacional do Brincar com entrada livre


Hoje dia 28 de maio celebra-se o Dia Internacional do Brincar e o espaço museológico do concelho dedicado à temática “Brincar”, terá portas abertas ao público durante todo o dia.

O “World Play Day”, traduzido como o Dia Internacional do Brincar, é uma data que se celebra anualmente a 28 de maio e que, à luz do artigo 31º da Convenção sobre os Direitos da Criança das Nações Unidas, reconhece o direito da criança a brincar e a participar em jogos e atividades próprias da sua idade e de participar livremente na vida cultural e artística.

Para assinalar esta data e dado que em Arronches existe um núcleo museológico precisamente dedicado ao brinquedo e à sua história e evolução ao longo dos tempos, o Município determinou que a entrada no Museu de (A) Brincar será gratuita ao longo desta quinta-feira, sujeita ao horário de funcionamento, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

O município relembra ainda que o Museu de (A) Brincar, tal como os restantes espaços municipais, está condicionado pelas medidas de segurança recomendadas pela DGS- Direção Geral de Saúde.

O Museu (A) Brincar, está localizado no Largo Serpa Pinto, em Arronches, podendo ser contatado pelo telefone: 245 580 088.
Fotos/ E. Moitas 




terça-feira, 26 de maio de 2020

Arronches – Rosas substituíram alunos na escadaria da antiga Escola Básica 2, 3, hoje invadida pela vegetação


Em Portugal, de Norte a Sul passaram a existir edifícios pagos com o dinheiro dos contribuintes devolutos, como acontece com várias escolas hoje abandonadas, Arronches não foi exceção à regra como se constata pelas imagens.

A antiga Escola Básica 2, 3 de Arronches, está devoluta desde fevereiro de 2017, depois de alunos e professores terem deixado este espaço que foi inaugurado nos anos oitenta, e que foi visitado em 14 de março de 1989, pelo então Presidente da República, Dr.  Mário Soares, e passarem a utilizar o novo e moderno Centro Escolar, inaugurado pelo ministro Pedro Marques, a 2 de fevereiro de 2017.  

Este novo Centro Escolar, foi uma obra  que constituiu na época um dos maiores investimentos dos últimos anos no Concelho de Arronches, e que rodou os três milhões de euros, e que teve o lançamento da primeira pedra a dia 25 de junho de 2013.

Hoje as antigas instalações da Escola Básica 2, 3, começam a acusar a passagem do tempo e a falta de manutenção, com a vegetação a invadir todo o espaço e a constituir um elevado risco de incêndio nos meses de verão, não só para as instalações da ex escola, como para os edifícios localizados nas proximidades.  

Atualmente na entrada da antiga escola, é possível ver um manto de rosas a descer as escadas por onde antes entravam alunos e professores, indicando às pessoas que passam na estrada que a escola está abandonada e que urge reaproveitar um espaço, por sinal bem localizado numa das principais entradas da vila.  

O destino deste edifício atualmente cedido ao Centro de Bem Estar Social e Santa Casa da Misericórdia de Arronches, é certamente ser reconvertido como já aconteceu ao último bloco, que foi demolido para dar lugar ao parque estacionamento do novo Centro Escolar, inaugurado recentemente e que justificou por parte da Câmara Municipal um investimento total de 136.159,59€.

É pena que estas situações se arrastem no tempo, pois os edifícios parados a degradarem-se ano após ano não ajudam ninguém e dão uma má imagem.
Fotos/ Emílio Moitas 







domingo, 24 de maio de 2020

Alentejo - BE questiona Marta Temido sobre poluição da transformação de bagaço de azeitona


O Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda (BE) questionou recentemente a Ministra da Saúde, Marta Temido, sobre a transformação de bagaço de azeitona em Fortes, no concelho de Ferreira do Alentejo.

O Bloco de Esquerda refere que “a unidade industrial da empresa AZPO – Azeites de Portugal, que transforma bagaço de azeitona, continua a causar problemas ambientais e de saúde pública, segundo a população da localidade de Fortes”.

Posto isto, o BE quer saber se “o Governo confirma a persistência dos problemas de saúde pública relacionados com a transformação de bagaço de azeitona” naquela localidade.

O Bloco quer ainda saber “das medidas urgentes de saúde pública recomendadas ao Governo pela Assembleia da República na Resolução n.º 279/2018, de 23 de agosto, que medidas foram realizadas e quais estão ainda por realizar”.

O grupo parlamentar pergunta ainda “que medidas prevê o Governo adotar para evitar que a unidade industrial continue a causar problemas de saúde pública à população de Fortes”.

De referir que a transformação de bagaço de azeitona em diferentes localidades do Alentejo, como em Fortes ou Monforte, vem motivando mal-estar junto das populações pela poluição provocada, com muito fumo, mau cheiro a dezenas de quilómetros, ou ainda a degradação de estradas nas zonas onde se localizam estas unidades industriais de transformação de bagaço.
Fotos/ Arquivo / E. Moitas 


sábado, 23 de maio de 2020

Arronches – Grupo de Forcados ofereceu equipamentos de proteção aos BVA


O Grupo de Forcados Amadores de Arronches que no início do mês já tinha feito uma doação de  material de proteção ao Hospital de Portalegre, ofereceu este, sábado dia 23 de maio, à Associação de Bombeiros Voluntários de Arronches, material de proteção que consistiu num lote de 50 batas descartáveis, 2 caixas de luvas e 20 máscaras de proteção respiratória FFP2, equipamentos indispensáveis para a proteção dos bombeiros desta associação no desempenho da sua atividade.

Um pouco por todo o país o mundo dos touros tem sido solidário, e o Grupo de Forcados Amadores de Arronches não foi exceção nesta luta contra a pandemia.

Na página web dos Amadores de Arronches, é referido que o grupo vai continuar a dar o seu contributo, estando para breve outra doação de material a outra instituição prioritária na luta contra o Covid-19.

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Arronches - Projeto AKIBA fez donativo aos Bombeiros Voluntários



No passado dia 21 de maio, a Associação e Corpo de Bombeiros de Arronches, foi visitada por duas jovens, a  Andreia Marques e a Sara Grilo, que solidárias com os Bombeiros aqui vieram fazer uma oferta em numerário, que totalizou 400 €, foi angariada através da venda solidária de máscaras sociais que as próprias confeccionaram, revertendo uma parte da receita das vendas para os Bombeiros de Arronches. 

A Andreia e a Sara criaram o projecto AKIBA e propuseram-se fazer máscaras, e vendê-las através das redes sociais e, numa demonstração de grande altruísmo e de reconhecimento pelo trabalho dos bombeiros em prol da população, decidiram oferecer parte do valor conseguido aos Bombeiros.

Um gesto deixou os BVA, bastante sensibilizados e imensamente agradecidos, pelo donativo será utilizada na aquisição de equipamento para o Corpo de bombeiros.

O projecto AKIBA continua ativo e poderá ser seguido por todos em: